Moema:

(11) 5561-0293

Sto Amaro:

(11) 5523-9222

Higienópolis:

(11) 3078-0321

Telemedicina:

(11) 3280-3331

Como evitar micose de pele

Micose

Micoses se caracterizam por infecções ocasionadas por fungos que incidem nas unhas, pele e cabelos. Na realidade, alguns tipos de fungos vivem no corpo humano sem gerar nenhum sintoma.

Porém, se eles iniciam reprodução de forma rápida podem provocar doenças. Fungos alimentam-se de queratina que estão presentes na pele, cabelos e unhas. Quando encontram condições favoráveis, como umidade, calor, baixa de imunidade, estes fungos podem se proliferar, havendo então a necessidade de fazer o tratamento adequado.

Como evitar o problema

O fungo necessita de 3 fatores para proliferação: a pele, o calor e a umidade. A prevenção sempre é a melhor opção.

A dica, é manter a pele bem seca depois do banho. Atenção especial para dobrinhas do corpo, como a virilha, dobras dos joelhos, cotovelos, axilas nuca e também entre os dedos dos pés. Neste local em especial, é importante complementar a secagem utilizando papel absorvente ou secador de cabelo, que vai conseguir absorver o restante da umidade que ficou.

Roupas

Mais uma orientação é evitar roupas sintéticas e apertadas. O tecido sintético é capaz de esquentar e não vai fazer absorção do suor corporal, ocasionando ambiente úmido e quente, bom para os fungos se proliferarem.

E as roupas apertadas machucando as dobras do corpo, formam um ambiente adequado para fungos, favorecendo a sua multiplicação. É importante vestir roupas confortáveis e leves, de preferência algodão, pois conseguem absorver o suor.

Mais uma dica é controlar o suor, pois este em excesso contribui também para deixar um ambiente favorável para determinados tipos de fungos. Utilizar um antitranspirante  indicado para cada caso pode ajudar.

Evitar banhos quentes que podem causar ressecamento da pele. Se mesmo com todos estes cuidados o suor incomodar, visitar o dermatologista para entendimento da causa do problema e tratamento mais específico.

Umidade nos pés favorece o aparecimento de algumas micoses e alguns fungos acabam sendo transmitidos de um indivíduo a outro. Assim, evitar caminhar descalço em locais públicos, utilizando chinelos ou sandálias.

É ideal também não compartilhar peças do seu vestuário como roupão, chapéu, chinelo, meias, dentre outros.

Evitar ficar com roupas molhadas, saindo da piscina ou mar e tentar se secar ou trocar a roupa de banho. A umidade e o calor são fatores importantes para irritação da pele e aparecimento de fungos.

Não compartilhar kit de unhas é importante. Como as roupas, os cortadores de unhas e alicates podem também transmitir fungos que causam micose. Cada indivíduo deve possuir seu kit individual para as unhas.

Tipos de micose

É importante entender que há 3 tipos de micose. A pitiríase versicolor, as tinhas, e as onicomicoses. A pitiríase versicolor, conhecida popularmente como pano branco, é caracterizada pelas manchas pequenas esbranquiçadas, e que escamam.

Elas podem se apresentar isoladas ou agrupadas, e geralmente incidem na região superior dos braços, pescoço, tronco, rosto. A superfície dela possui descamação fina, sendo a tonalidade variável entre rosado, branco, ou castanho, e raramente coçam.

Pitiríase versicolor tem maior incidência nos jovens e adolescentes, e os indivíduos de pele oleosa, mais suscetíveis para ter esse tipo de micose. Tratamento pode ser realizado usando medicamentos do uso tópico ou ainda oral, dependendo da avaliação do seu médico.

Tinha é micose que apresenta manchas vermelhas com superfície escamosa, sendo as bordas muito nítidas e que apresentam coceira. E por último, as micoses de unhas, chamadas de onicomicoses, tanto das mãos quanto dos pés. Nesse caso, a unha pode ficar mais grossa e ainda descolada, com alteração da tonalidade, ou mesmo com fragilidade exagerada.

Tratamento para micose

Tratamento para micose é variável. Os tratamentos para tinhas tendem a ser mais curtos, e nas onicomicoses mais prolongados. Não interromper mesmo que os sintomas tenham cessado, já que o fungo das camadas de maior profundidade pode apresentar resistência.

Micoses são tratadas com vários medicamentos chamados antifúngicos. O tipo que usar vai depender da localização da infecção e da gravidade da mesma.

Para infecção superficial, é possível utilizar somente cremes antifúngicos. No caso de infecções mais graves, incluindo as unhas, seu médico pode ter a opção também de medicamentos orais. Vários remédios antifúngicos se mostram tóxicos ao fígado, de modo que pacientes devem receber cuidadoso monitoramento.

Micoses de unhas são as de maior dificuldade para o tratamento, pois levam um tempo maior, com possibilidade de precisar manter o medicamento durante mais de 12 meses. Desta forma, sempre siga a recomendação do seu médico que está acompanhando seu tratamento, para obter o desejado sucesso.

Fonte:  Dermaweb

Agende uma consulta. Aceitamos diversos convênios, clique aqui para ver

Unidade Moema: (11) 5561-0293⠀
Unidade Santo Amaro: (11) 5523-9222⠀
Unidade Paulista: (11) 3884-1867⠀
Unidade Higienópolis: (11) 3078-0321⠀

Derma Line | Há mais de 20 anos, cuidando da pele brasileira⠀
www.dermaline.com.br

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

Quando se deve procurar um Dermatologista?

Quando procurar um Dermatologista?   Você deve procurar um dermatologista sempre que tiver preocupações ou problemas relacionados à pele, cabelo, unhas ou mucosas. Aqui estão

Gostou deste Post?

Cadastre seu email e inscreva-se em nossa Newsletter

Abrir chat
Agendar consulta?
Olá
Gostaria de agendar uma consulta?