Moema:

(11) 5561-0293

Sto Amaro:

(11) 5523-9222

Higienópolis:

(11) 3078-0321

Telemedicina:

(11) 3280-3331

Risco para Obesidade – 5 Condições que Sinalizam Risco

risco para obesidadeVárias causas para obesidade foram agora descobertas. É possível ficar surpreso para quais causas colocam um indivíduo em risco para a condição. Na seqüência são apresentadas então as 5 condições que sinalizam poder estar em risco para obesidade:

1 – Risco para obesidade – Dorme menos que 7 horas de sono por noite

Além de prevenir doença cardíaca, acidente vascular encefálico, depressão e outras doenças, obter uma quantidade adequada de sono de alta qualidade a cada noite, pode ajudar assim a prevenir ganho de peso e obesidade. Qual é a quantidade correta? Segundo CDC, as crianças com idade de 6 a 12 precisam de 9 a 12 horas por noite. Os adolescentes com idade de 13 a 18 precisam de 8 a 10 horas.

Adultos com idade de 18 a 60 anos precisam de 7 ou mais horas na realidade. Aqueles com idade de 61 a 64, 7 a 9 horas e aqueles com mais de 65 anos, então precisam de 7 a 8 horas. O que acontece quando as pessoas dormem? O corpo tem a chance de reparar e se restaurar de fato.

2 – Prepara uma refeição em casa menos do que 7 vezes por semana

O consumo de fast food, em particular, foi associado assim com epidemia de obesidade. Agora pesquisadores estão descobrindo de fato até mais benefícios de comer em casa. Um estudo apresentado no encontro de 2015, American Heart Association, em Orlando, descobriu que as mulheres e homens que prepararam refeições em casa foram menos prováveis de ganhar peso. E foram também menos propensas a desenvolver diabetes tipo 2.

Especificamente, os pesquisadores, incluindo o autor líder Geng Zong, PhD, pesquisador em Harvard T.H. Chan School of Public Health em Boston, descobriu que as pessoas que comeram uma média de 11 a 14 almoços e jantares preparados em casa a cada semana, tiveram um risco 13% menor de desenvolver obesidade e diabetes tipo 2. Como comparado com aqueles que comeram zero a 6 almoços e jantares preparados em casa. Outros estudos conectaram comer fora de casa, especialmente consumo de fast food, com sobrepeso e obesidade em crianças e adultos jovens.

3 – Risco para obesidade – Consome uma dieta de estilo do sul

A América do Sul, como uma região geral, repetidamente também foi descoberta a ter os níveis mais altos de obesidade e diabetes, ambos dos quais são fatores de risco para acidente vascular encefálico e doença cardiovascular.

Além dos problemas com estilo de vida sedentário e pouca caminhada, em áreas urbanas e rurais na dieta de estilo do sul, tem muito a ver com título de cinturão de acidente vascular encefálico.

Os pesquisadores que coletaram informações de mais de 17.000 participantes adultos, descobriram que aqueles que eram os maiores consumidores do que foi chamado de “padrão do sul, caracterizado pelas gorduras adicionadas, alimentos fritos, ovos, carnes processadas e de órgão, e bebidas adoçadas com açúcar”, tiveram um risco 56% maior de doença arterial coronária, incluindo ataque cardíaco e acidente vascular encefálico.

Isso significa que comer principalmente alimentos fritos, como é comum no sul, basicamente tudo frito, pode derrubar o coração mais rápido e mais freqüente do que apenas sobre qualquer outro estilo de alimentação, além de causar ganho de peso significativo.

4 – Vai ao trabalho de carro todo dia

Ainda outro fator que foi descoberto que está associado com sobrepeso e obesidade, está relacionado com estilo de vida sedentário.

Em um estudo que observou o meio de transporte auto relatado, categorizado como transporte privado, transporte público, e transporte ativo, em mais de 15.000 residentes do Reino Unido, aqueles que foram ao trabalho usando meios públicos e ativos de transporte tiveram de forma significativa menor índice de massa corporal do que aqueles que usaram transporte privado. O transporte privado pode incluir dirigir o próprio carro, e carona solidária, por exemplo.

Não apenas aqueles que caminharam ou usaram bicicleta totalmente ou parte do caminho para trabalho, já que uma pessoa pode fazer por necessidade quando usando trânsito público, têm índice de massa corporal menor. Mas eles também tiveram menos porcentagens de gordura corporal comparado com aqueles que foram ao trabalho usando seu próprio carro privativo.

Ambos homens e mulheres, foram encontrados a aproveitar dos benefícios de um meio de transporte mais ativo. CDC recomenda exercício regular como uma maneira de manter um peso saudável.

5 – Pais sofrem de obesidade

Mais um risco para obesidade. Enquanto os outros 4 fatores de risco acima são fatores de estilo de vida, que podem ser mudados, este é fora do controle. E deve apenas fazer da pessoa ser mais vigilante sobre o próprio risco, e os hábitos diários que tem, que estão sob controle. Um número de associações genéticas com obesidade foi agora descoberto.

Por exemplo, cientistas descobriram que o gene FTO, pode conferir uma tendência para compulsão alimentar e desenvolvimento de obesidade em adolescentes. Obesidade foi descoberta a ser herdada em certas famílias. Como Expert Committee Recommendations Regarding the Prevention, Assessment, and Treatment of Child and Adolescent Overweight and Obesity, notou: “estudos com gêmeos claramente demonstraram um risco genético”.

Outros estudos descobriram na realidade, que a magnitude de obesidade parental pode ser importante, e mostraram uma associação entre obesidade mórbida em pais e obesidade subseqüente em seus filhos; em outras palavras, os filhos de pais obesos mórbidos, estão então em risco maior de se tornar obesos.

Fonte: Verywellhealth

Agende uma consulta. Aceitamos diversos convênios, clique aqui para ver

Derma Line | Há mais de 20 anos, cuidando da pele brasileira⠀
www.dermaline.com.br

 

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

Envelhecimento da Pele: Uma Jornada Científica

O envelhecimento da pele, processo biológico irreversível e multifatorial, é um tema de grande interesse científico e estético. Compreender os mecanismos subjacentes ao envelhecimento cutâneo

Quando se deve procurar um Dermatologista?

Quando procurar um Dermatologista?   Você deve procurar um dermatologista sempre que tiver preocupações ou problemas relacionados à pele, cabelo, unhas ou mucosas. Aqui estão

Gostou deste Post?

Cadastre seu email e inscreva-se em nossa Newsletter

Abrir chat
Agendar consulta?
Olá
Gostaria de agendar uma consulta?