Moema:

(11) 5561-0293

Sto Amaro:

(11) 5523-9222

Higienópolis:

(11) 3078-0321

Telemedicina:

(11) 3280-3331

Ainda não é tarde para evitar a queda de cabelo

É possível evitar que a queda de cabelo progrida, graças a uma série de tratamentos não invasivos.

A perda de cabelo geralmente não está associada à dor, mas pode ser emocionalmente perturbadora quando se percebe que os cabelos estão ficando mais escassos, especialmente quando se observa o espaço entre os fios e o couro cabeludo se tornando visível em algumas áreas. Felizmente, há várias abordagens disponíveis para o tratamento da perda de cabelo e para impedir que o problema se agrave.

 

Por que seu cabelo está ficando ralo?

Duas condições frequentemente encontradas são responsáveis pela maioria dos casos de perda de cabelo relacionada ao envelhecimento.

A mais comum é a alopecia androgenética, também conhecida como queda de cabelo de padrão masculino ou feminino. O primeiro sinal é a rarefação capilar. Os folículos capilares diminuem de tamanho, resultando em fios de cabelo mais finos. Alguns folículos capilares param completamente de produzir cabelo.

Esse tipo de perda de cabelo pode ser consequência de alterações genéticas ou hormonais relacionadas à idade e se desenvolve gradualmente, com padrões distintos para homens e mulheres. Nos homens, a linha do cabelo frontal geralmente recua, ou pode ocorrer afinamento nas têmporas ou na coroa no topo da cabeça. Nas mulheres, pode afetar uma grande parte do couro cabeludo ou áreas específicas, como a região central, as têmporas e a área frontal do couro cabeludo. No entanto, é importante notar que as mulheres não sofrem de calvície da mesma forma que os homens na alopecia androgenética.

Outro tipo comum de perda de cabelo é denominado eflúvio telógeno. Este tipo de rarefação ocorre de repente, geralmente em resposta ao estresse emocional ou físico. Isso pode ocorrer após um episódio de febre alta, infecção do trato urinário ou cirurgia. Também pode ser uma reação a uma condição médica subjacente ou ao início de um novo tratamento medicamentoso.

 

Protegendo seu cabelo

O tipo de tratamento recomendado pelo seu médico será determinado pela causa subjacente da queda de cabelo. No caso do eflúvio telógeno, a condição geralmente se resolve por conta própria ou quando a causa subjacente é tratada. O eflúvio telógeno geralmente melhora em três a seis meses.

Para pessoas que sofrem de alopecia androgenética, o tratamento visa melhorar os folículos capilares, tornando os fios mais espessos e proporcionando uma aparência geral mais densa. Existem várias opções de tratamento disponíveis:

  1. Medicamentos tópicos: O minoxidil, disponível sem receita médica, é aprovado pela FDA como tratamento para queda de cabelo em homens e mulheres. Ele ajuda a engrossar os folículos capilares e promove o crescimento do cabelo. Pode ser encontrado na forma de líquido ou espuma aplicada no couro cabeludo. A forma líquida pode ser mais adequada para pessoas com bastante cabelo, mas pode causar mais irritação em comparação com a espuma. É necessário usar o produto diariamente por pelo menos nove meses para observar melhorias.
  2. Medicamentos orais: Estudos recentes sugerem que o minoxidil oral, originalmente usado para tratar a hipertensão, é seguro e eficaz para tratar a queda de cabelo. Outros medicamentos orais incluem a finasterida e a espironolactona. É importante notar que esses medicamentos orais podem ter efeitos colaterais, como pressão arterial baixa ou palpitações cardíacas, e o tratamento deve ser personalizado para cada paciente.
  3. Injeções de plasma rico em plaquetas: Neste procedimento, concentrações elevadas de componentes do próprio sangue são injetadas no couro cabeludo para estimular o crescimento do cabelo, geralmente com sessões mensais ao longo de três meses e tratamentos de acompanhamento anuais. A eficácia desse método ainda não foi completamente comprovada.
  4. Tratamentos com luz laser: Dispositivos que emitem luz laser LED de baixa intensidade podem estimular o crescimento do cabelo e estão disponíveis sem receita médica em pentes e capacetes para uso doméstico.
  5. Suplementos: Embora os suplementos para o crescimento capilar possam ser caros e careçam de evidências sólidas de eficácia, desde que não interfiram com outros medicamentos, não há problema em experimentá-los.

 

Independentemente do tratamento escolhido, a chave está em iniciá-lo assim que a queda de cabelo for detectada. Se os folículos capilares já pararam de funcionar, a única opção para restaurar os cabelos é a cirurgia de transplante capilar.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Postagens

Envelhecimento da Pele: Uma Jornada Científica

O envelhecimento da pele, processo biológico irreversível e multifatorial, é um tema de grande interesse científico e estético. Compreender os mecanismos subjacentes ao envelhecimento cutâneo

Quando se deve procurar um Dermatologista?

Quando procurar um Dermatologista?   Você deve procurar um dermatologista sempre que tiver preocupações ou problemas relacionados à pele, cabelo, unhas ou mucosas. Aqui estão

Gostou deste Post?

Cadastre seu email e inscreva-se em nossa Newsletter

Abrir chat
Agendar consulta?
Olá
Gostaria de agendar uma consulta?